De Salta a Tupiza

De Puerto Iguazu, voámos para Salta, no norte da Argentina.

Embora não tivéssemos especial interesse em ir a Salta, na América do Sul os vôos internos são muito mais baratos que os vôos entre países, e portanto esta foi uma boa forma para entrarmos na Bolívia.

Salta foi uma Argentina completamente diferente daquela que vimos em Puerto Iguazu. A arquitetura é muito espanhola, com o centro da cidade bem preservado e claramente colonialista. Há também uma boa percentagem de habitantes com ascendência indígena. Juntando a isto o frio da região montanhosa e os trajes tradicionais, rapidamente ficámos curiosos por esta cidade que planeámos apenas como de passagem.

 

Decidimos ficar duas noites, e portanto tivemos tempo para visitar o centro e fazer uma caminhada ao Cerro San Bernardo, onde há uma vista panorâmica sobre a cidade. Há também um teleférico que faz a subida, mas optámos por subir e descer a pé.

Aproveitámos também para experimentar as famosas Empanadas!

Salta foi uma cidade diferente porque não sentimos a confusão habitual, nem aquela vontade de fugir para a Natureza. Por outro lado, as duas noites que decidimos ficar pareciam ser suficientes.

 

Quando chegámos a Salta ainda não estávamos 100% decididos de como iríamos entrar na Bolívia. Uma hipótese seria ir a San Pedro de Atacama, no Chile, e a outra diretos para norte, para Tupiza.

San Pedro de Atacama parecia muito interessante pelo que lemos na internet, mas optámos pela rota mais direta.

Como de costume, a melhor maneira de saber como chegar a Tupiza é ir à estação de autocarros! Assim fizemos, e ficámos muito surpresos quando nos disseram que não há autocarros que atravessam a fronteira para a Bolívia. Marcámos bilhetes para La Quiaca, na fronteira, e teríamos que atravessar a pé.

Quando saímos de Salta, o cenário foi mudando progressivamente. O verde foi dando lugar ao cinzento e castanho. As 7 horas de viagem até à fronteira passaram rapidamente, mas não eram suficientes para chegar a Tupiza. Atravessámos a fronteira a pé e de seguida apanhámos um taxi até à nova estação de autocarros de Villazon.

Daí saem regularmente autocarros para vários destinos na Bolívia, mas praticamente todos passam em Tupiza, pelo que foi fácil arranjar autocarro para as últimas duas horas de viagem.

Finalmente em Tupiza, depois de fazermos check-in na pousada fomos à procura operadores de viagem. Ninguém faz turismo em Tupiza, mas é um excelente ponto de partida para viagens ao deserto e ao famoso Salar de Uyuni! Embora já fosse tarde conseguimos lugar numa viagem para o dia seguinte, e lá fomos nós!

João

 

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *