As três fronteiras – Brasil, Paraguai e Argentina

Depois de uma dura viagem de cerca de 20 horas, que envolveu dois autocarros, deixámos Bonito e chegámos a Foz Iguaçu, no Brasil, mas que faz fronteira com Puerto Iguazu (Argentina) e Ciudad del Este (Paraguai).

Fomos imediatamente para o hotel, dormimos uma sesta matinal, tomámos banho e decidimos para onde iríamos nesse dia: parque das Aves foi o nosso destino. Uma amiga minha brasileira tinha-me indicado o local como sendo a não perder.

Esperava um local cheio de aves ao ar livre, mas a verdade é que era um “jardim zoológico” de aves nativas desta região, que são muitas vezes recuperadas de situações como o tráfico animal. De qualquer maneira, foi lindo e gostámos sobretudo de ver as araras (vermelhas e azuis) e os tucanos!

No dia seguinte fomos ao Paraguai, visitar umas cascatas pouco conhecidas (devido ao facto de mesmo ao lado existirem as cataratas do Iguaçu), mas que outros viajantes nos recomendaram – as “quedas del Monday”.

Não foi nada fácil lá chegar! Primeiro, apanhámos um autocarro até à Ciudade del Este, e depois tivemos de nos desenrascar. Na internet não tínhamos informações sobre os transportes públicos e os motoristas dos autocarros falavam um dialeto incompreensível. Mas lá conseguimos!

Encontrámos um parque que tinha uma faixa onde dizia “quedas del Monday” e entrámos. Apercebemo-nos depois de que poderíamos ter ido mais perto das cascatas e ter pago menos, mas os erros de turista fazem parte da aprendizagem!

De seguida conseguimos apanhar o autocarro inverso até à cidade, onde entrámos num outro para visitar a barragem de Itaipú (isto nem toda a gente sabe, mas pelo lado paraguaio a visita guiada é gratuita, ao contrário do lado brasileiro, onde se paga cerca de 10€!).

Almoçámos rapidamente uma sandes num barzinho ao lado do centro de visitantes, e depois entrámos no autocarro para a visita panorâmica da barragem. É de notar que a barragem de Itaipu é a maior central de produção elétrica do Mundo, e a segunda maior barragem do Mundo (a primeira é a barragem das três gargantas, na China, concluída em 2012, embora esta produza menos energia).

A barragem de Itaipu foi construída entre 1975 e 1982 e localiza-se no rio Paraná, entre o Brasil e o Paraguai. “Em termos de recorde anual de produção de energia, a barragem de Itaipu ocupa o primeiro lugar ao superar o seu próprio recorde que era de 98,6 milhões de MWh. Em 2016, a barragem de Itaipu Binacional realizou um feito histórico ao produzir, num único ano calendário, mais de 100 milhões de MWh de energia limpa e renovável.” [wikipedia.org]

A dimensão desta obra de engenharia é simplesmente impressionante! Em relação aos impactes ambientais, estes não são muito referidos durante a visita, mas foram gigantescos. Para terem uma noção, a construção desta barragem afundou o “salto das sete quedas”,  também chamado “sete quedas do rio Paraná”, que foram as maiores cascatas do Mundo em volume de água, com 13.300 m³/segundo, o dobro de volume de água das Cataratas do Niagara (EUA/Canadá) e treze vezes mais caudalosas que as Cataratas Victoria (Zâmbia). Portanto, também bem maiores do que as suas vizinhas Cataratas do Iguaçu.

Portanto, imaginem a quantidade de floresta que também ficou inundada, com todo o seu ecossistema sepultado para sempre.

No fim da visita fomos para a estrada oposta onde tínhamos saído do autocarro. Estava lá uma senhora à espera, que nos foi dizendo, insistentemente, que este autocarro demorava muito. Esperámos, esperámos, esperámos, a senhora entretanto entrou numa carrinha, esperámos mais, até que pedimos boleia, e um condutor de uma carrinha da Universidade levou-nos para a Ciudade del Este.

Enquanto estávamos à espera do autocarro, divertimo-nos a observar esta linda coruja!

Esta cidade fronteiriça é caótica, e feita para o consumo. Uma autêntica confusão. Atravessámos a pé a ponte para o lado brasileiro, e depois fomos em busca de mais um autocarro. Entretanto desabou o céu sobre nós, mas abrigámo-nos a tempo! Conseguimos regressar, sãos e salvos, ao hotel!

No dia seguinte seguimos para Puerto Iguazu, na Argentina. Nesta altura já estávamos mortinhos por ver as famosas cataratas do Iguaçu, que não nos desiludiram!

Margarida

As três fronteiras vistas a partir da Argentina. À direita, Paraguai e à esquerda, Brasil.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *