Bonito – Mato Grosso do Sul

Aterrámos em Campo Grande, capital do estado do Mato Grosso do Sul já de noite, depois de um vôo desde São Paulo. Apanhámos logo um transfer que nos deixou em Bonito, a cidade onde passaríamos as quatro noites seguintes.

Apesar do adiantado da hora, quando chegámos a Bonito, deu para perceber que estávamos numa cidade bem mais tranquila e pequena do que as últimas onde tínhamos estado.

O Buraco das Araras foi a nossa primeira atividade em Bonito e foi extraordinária. Fiquei com o coração aos saltos de entusiasmo, por ver aqueles pássaros maravilhosos no seu habitat natural. Admirar as araras com as suas penas de cores tão vivas e ouvir os seus sons, foi a mesma sensação de êxtase que tive ao ver tartarugas dentro de água na Indonésia.

Além das araras havia também centenas de periquitos. Vimos ainda papagaios, aves de rapina e dois tucanos (a minha ave favorita!).

O  Buraco das Araras é uma das maiores dolinas do mundo, com aproximadamente 100 metros de profundidade e 500 metros de circunferência. Este local já esteve completamente degradado. Na década de 80 o proprietário decidiu limpar o local, reflorestá-lo e dedicá-lo ao turismo. Na altura já não existiam araras, mas foi colocada vegetação que é alimento destas aves e, aos poucos, elas foram voltando. O número foi crescendo e hoje já são mais de 100!

Este é prova de que quando o ser Humano se coloca ao serviço da Natureza ela tem uma grande capacidade de regeneração, o que me deixa bastante animada.

A segunda atividade que fizemos foi a flutuação (snorkling descendo com a corrente) na nascente do rio Sucuri, que tem uma das águas mais transparentes do Mundo! Apesar de ter passado algum frio durante os 50 minutos em que descemos 1800m à superfície do rio, foi incrível ver aquela água tão azul cristalina, as algas e os peixes tão grandes (apesar de alguns serem um pouco assustadores).

Margarida

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *