As cidades históricas da Tailândia: Sukhothai e Ayuthaya

Apesar da incrível poluição, sobrepovoamento e desorganização das cidades tailandesas, este é um país com muita história, tal como os seus países vizinhos. Contudo, no currículo escolar praticamente não se fala do que aconteceu por aqui.

Quem me conhece sabe que eu adoro História. Desde pequena que esta era uma das minhas disciplinas favoritas e para a qual eu estudava com mais afinco, porque também com mais gosto. Talvez por isso é que gosto tanto de viajar. Porque também viajo pelo tempo.

Depois de Chiang Mai visitámos Sukhotai. O reino Sukhotai (Rising of Happiness) floresceu entre meados do século XIII e fins do século XIV. Este período é frequentemente visto como a era dourada da civilização tailandesa. Nos dias de hoje, Sukhotai divide-se entre a cidade nova e a cidade antiga. Nesta última podemos encontrar ruínas parcialmente reconstruídas do reino Sukhotai numa área com cerca de 45 km2. Este é um dos locais históricos mais visitados da Tailândia.

As ruínas estão divididas em cinco zonas, sendo que a zona central é a principal e foi a que nós visitámos, pois é a que tem as ruínas mais impressionantes.

A arquitetura característica dos templos de Sukhotai é tipificada pelo clássico chedi de lótus fechado, com uma torre cónica no topo de uma estrutura quadrada numa base de três níveis, como poderão observar nas fotografias que se seguem.

Por termos ficado apenas uma noite, fizemos a visita às ruínas de madrugada (o parque histórico de Sukhotai abre às 6h30), o que foi uma ótima escolha. Durante o dia as temperaturas rondavam os 35oC o que, aliado à humidade torna as visitas turísticas numa atividade hercúlea. Já só queríamos chegar às ilhas, mas ainda faltava visitar Ayuthaya, o nosso próximo destino!

A cidade de Ayuthaya foi a capital de Sião entre 1350 e 1767, até ser pilhada brutalmente pelos brimaneses. Dezenas de templos evocam a grandeza passada de Ayutthaya, e dedicámos dois dias a explorá-los. É de notar que, no seu auge, Ayuthaya teve mais de 400 templos.

As visitas a estas duas cidades cheias de História foram muito cansativas. Mal saíamos à rua os nossos corpos já estavam pegajosos e começavam logo a transpirar, numa tentativa de combater as altas temperaturas, que a humidade só tornava mais difícil de suportar. Contudo, valeu muito a pena o esforço!

Margarida

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *