Planear uma volta ao Mundo: África

Desde que começámos a planear a nossa viagem, apercebemo-nos do quão grande o Mundo é. Mesmo que tires um ano para viajar, como estamos a fazer, vais rapidamente chegar à conclusão de que não poderás ir a todos os sítios que gostarias!

Em primeiro lugar, decidimos vagamente as regiões que queríamos visitar: a parte sul de África, o Sudoeste Asiático, Austrália e Nova Zelândia, América Central e do Sul.

Desde o início decidimos também onde não iríamos, tendo por base algumas regras:

– Países caros onde é fácil viajar, o que exclui os EUA, Canadá, Japão e talvez venha a excluir a Austrália e Nova Zelândia (ainda vamos ver!).
– Países próximos de Portugal: Norte de África e Europa, já conhecemos alguma coisa, e será fácil visitarmos em qualquer altura.
– Regiões inseguras: excluindo toda a parte central de África e o Médio Oriente.
– Países muito grandes como a Índia, China e Rússia, aos quais esperamos vir a consagrar uma grande viagem para cada um deles.

Por último, decidimos repartir a viagem em três etapas, regressando a Portugal entre elas.

– De Setembro a Dezembro: África
– Janeiro a ~Abril: América Central e do Sul
– ~Maio a ~Julho: Sudoeste asiático

Roteiro Africano

Decidimos começar a viagem em África, por ser na nossa opinião o continente mais desafiante. Considerámos várias rotas mas decidimo-nos pela seguinte:

A primeira parte da viagem vai ser com uma excursão organizada. Vamos integrar um grupo de cerca de 20 pessoas, mais um condutor e um guia. Estaremos juntos por 42 dias seguidos! A isto chama-se uma viagem overland, e há várias empresas que as organizam. Decidimos marcar a viagem com a African Overland Tours, depois de nos informarmos e lermos avaliações durante alguns dias. A nossa viagem vai ser com alojamento em tenda, o que quer dizer que vamos parar em parques de campismo, montar as tendas e cozinhar em grupo.

Estas viagens organizadas são mais caras do que organizar tudo sozinho, mas é impossível ver tanta coisa em tão pouco tempo. Para além diso, a segurança adicional de viajar com guia e em grupo foi um fator decisivo.

A viagem overland levar-nos-á desde Nairobi até à Cidade do Cabo (percurso assinalado a vermelho no mapa). Desde a Cidade do Cabo até Moçambique (percurso azul) sentimo-nos confortáveis o suficiente para o fazer por nossa conta, sobretudo porque a África do Sul é um país muito turístico. Além disso, Moçambique é uma ex-colónia portuguesa, pelo que também não teremos a barreira linguística.

No fim do nosso périplo africano, teremos visitado os seguintes países, por esta ordem:

– Quénia
– Tanzânia
– Malawi
– Zambia
– Zimbabwe
– Botswana
– Namíbia
– África do Sul
– Moçambique

Vôos

Nós fomos observando os preços dos vôos semanas antes de os comprar, usando o website skyscanner. Ter datas flexíveis é muito bom visto que os preços podem variar muito.
De Portugal para Nairobi, com saída dia 9 de Setembro, teremos escala em Casablanca e depois uma paragem técnica para abastecimento na República do Chade. Este vôo é operado pela Royal Air Maroc e custou 548,48€ para os dois.
O vôo de Maputo para Lisboa, dia 8 de Dezembro, é direto e operado pela TAP, tendo custado 505,23€ para os dois. Deste modo, o total dos vôos para esta etapa foi de 1053,71€.

Estamos muito entusiasmados para o nosso périplo africano! Dizem que planear a viagem é mais divertido do que a viagem em si, nós esperamos que não!

João

 

2 comments

  1. Ola aos dois, parabens pelo blog e o planeamento da vossa viagem!
    Espero que possam passar algum tempo com nativos de cada região.
    Parece-me que passam por Zanzibar?
    Vao dormir em tendas?

    Levem tampões para os ouvidos, a vida selvagem pode ser surpreendentemente ruidosas durante a noite e se houverem outros grupos a acampar nos mesmos locais pode ser a diferença entre uma noite bem dormida e um dia exausto… levem tb algo para desinfetar a água. Gotas de cloro e pastilhas efervescentes Isostar combinam bem para anular o sabor do cloro…

    Abraço

    1. Olá David!
      Obrigado pelas dicas! Vamos a Zanzibar sim. Na viagem até à cidade do cabo vamos dormir maioritariamente em tenda, Zanzibar é das poucas excepções e acho que vamos dormir num hostel. Como a viagem até à cidade do cabo é organizada, contamos ter sempre água potável, mas a partir daí acho que seguiremos a tua dica!
      Infelizmente não é desta que subimos ao Kilimanjaro!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *